[RESENHA] A Hospedeira

03:00 2 Comments A+ a-


A HOSPEDEIRA
Autora: Stephenie Meyer
ISBN: 9788598078595
Editora: Intrínseca

SKOOB | Compre na SHOPTIME
Nosso planeta foi dominado por um inimigo que não pode ser detectado. Os humanos se tornaram hospedeiros dos invasores: suas mentes são extraídas, enquanto seus corpos permanecem intactos e prosseguem suas vidas aparentemente sem alteração. A maior parte da humanidade sucumbiu a tal processo. Quando Melanie, um dos humanos "selvagens" que ainda restam, é capturada, ela tem certeza de que será seu fim. Peregrina, a "alma" invasora designada para o corpo de Melanie, foi alertada sobre os desafios de viver dentro de um ser humano: as emoções irresistíveis, o excesso de sensações, a persistência das lembranças e das memórias vívidas. Mas há uma dificuldade que Peregrina não esperava: a antiga ocupante de seu corpo se recusa a desistir da posse de sua mente. Peregrina investiga os pensamentos de Melanie com o objetivo de descobrir o paradeiro dos remanescentes da resistência humana. Entretanto, Melanie ocupa a mente de sua invasora com visões do homem que ama: Jared, que continua a viver escondido. Incapaz de se separar dos desejos de seu corpo, Peregrina começa a se sentir intensamente atraída por alguém a quem foi submetida por uma espécie de exposição forçada. Quando os acontecimentos fazem de Melanie e Peregrina improváveis aliadas, elas partem em uma busca incerta e perigosa do homem que ambas amam.
A Hospedeira é um livro de ficção científica que fala sobre uma Terra invadida por alienígenas (conhecida como "Almas") que tomam os corpos humanos (chamados de "Hospedeiros") a fim de formar uma sociedade perfeita e salvar o planeta.

Logo no início, conhecemos Melanie, que vive fugindo dos alienígenas com seu irmão Jamie e que acaba conhecendo Jared, também fugitivo. Os dois se apaixonam e se unem.

Porém, eis que Melanie é pega pelos Buscadores, uma espécie de "polícia" alienígena e é levada para se tornar uma hospedeira. A Alma escolhida para vier no corpo de Mel é a Peregrina, ou Peg, que já viveu em quase todos os outros planetas e é considerada uma das mais experientes da sua espécie.

E é aí que o inesperado acontece: Peg entra no corpo de Melanie, mas Melanie continua lá, coisa que jamais ocorrera com outro hospedeiro; sempre que uma Alma passa a viver num corpo humano, a consciência do humano desaparece. Mel, por sua vez, precisa lutar para bloquear as suas memórias e proteger o irmão e Jared.
- Realmente acredito que se uma outra pessoa tivesse sido posta nesta hospedeira, Melanie a teria esmagado em questão de dias. Talvez seja um acidente, talvez o destino, mas a mim parece que o mais forte de nossa espécie está sendo hospedado pelo mais forte da espécie deles.
Dentro da cabeça de Peg inicia-se uma luta entre a verdade e o sentimento; Peg toma consciência do amor de Melanie pelo irmão e por Jared e compartilha desse mesmo amor, algo que ela jamais sentiu. Como em sua espécie não existe mentiras, manipulação, etc., ela tem muita dificuldade em ocultar dos seus semelhantes que a consciência de Melanie ainda vive e, além disso, lhe pede que encontre o irmão e o proteja.

Juntas, elas encontram uma espécie de comunidade da resistência, numa caverna onde os humanos conseguem, além de se esconder das Almas, manter a subsistência dos que ainda restam. Jared, ciente de que Mel já não existe mais, age de maneira um tanto quanto cruel com Peg, que é imediatamente defendida por Ian...

Com o tempo ela consegue provar que suas intenções são as melhores e que Melanie ainda está viva. E um novo sentimento nasce, não em Mel, mas na própria Peregrina: uma nova paixão, dessa vez por Ian, seu defensor dentro da comunidade. 

Nesse livro, Stephenie Meyer me surpreendeu (ok, confesso que esperava algo mais ‘Crepúsculo’ e fiquei aliviada em ver que não era nada disso) por conseguir descrever várias formas de amor: o amor romântico, tanto de Melanie por Jared quanto de Peg por Ian, o amor familiar entre Mel e o irmão, o amor à vida quando Peg decide ajudar os forasteiros em vez de se manter fiel aos alienígenas. Em minha opinião, o livro deve ser lido, especialmente por aqueles que não curtem muito as outras obras da autora.


2 comentários

Write comentários
Estela Gois
AUTHOR
20 de janeiro de 2015 05:09 delete

Oi Henrique, eu amo esse livro, já li ele duas vezes e fico muito feliz de não ter desistido de ler no começo quando li pela primeira vez, porque ô começo chato. Me surpreendi muito quando li ele.
beijos

Estante de Cristal

Reply
avatar
Sara Emanuely
AUTHOR
7 de novembro de 2015 10:52 delete

Oi!
Demorei muito para começar essa leitura pois achava que não ia gostar do livro e mesmo o livro tendo um começo meio arrastado gostei muito da historia e paixonenta e com certeza a Stephenie Meyer soube falar dessas varias formas de amor fazendo um ótimo livro !!

Reply
avatar

Obrigado por comentar!