[RESENHA] Reiniciados

14:14 4 Comments A+ a-


REINICIADOS
Autora: Teri Terry
ISBN: 9788562525728
Editora: Farol Literário
Slated #1

SKOOB | Comprar na SARAIVA

As lembranças de Kyla foram apagadas, sua personalidade foi varrida e suas memórias estão perdidas para sempre. Ela foi reiniciada. Kyla pode ter sido uma criminosa e está ganhando uma segunda chance, só que agora ela terá que obedecer as regras. Mas ecos do passado sussurram em sua mente. Alguém está mentindo para ela, e nada é o que parece ser. Em quem Kyla poderá confiar em sua busca pela verdade?


Kyla é uma Reiniciada. Burocraticamente, o projeto dos Reiniciados daria a criminosos uma nova chance, apagando as memórias deles e dando-lhes uma nova vida, onde podem ser quem quiserem. Nenhum deles se lembra o que fez para ter sido reiniciado, muito menos Kyla. Com dezesseis anos, aprender tudo novamente não é fácil. No hospital onde vive, até encontrar uma família, Kyla aprende o necessário de como ser uma nova pessoa; é como um bebê aprendendo a andar. 
"Tudo bem, não tenho muita experiência nisso para embasar este julgamento. Posso ter dezesseis anos, não ser lenta, ou retardada, nem ter sido trancada num armário desde o nascimento — até onde eu saiba —, mas ser transformada numa Reiniciada faz isso com você. Deixa a pessoa vazia de experiências."
Então, quando Kyla menos espera, ela consegue uma família. Agora ela é Kyla Davis, parte de uma família. Nova família, nova escola, novos amigos... a nova vida de Kyla é tão confusa quanto os ecos que permeiam sua mente, como os estranhos sonhos que tem, onde está quase sempre fugindo de algo. 
Corro. As ondas lançam suas garras na areia sob meus pés, sem parar. Respiro de forma tão irregular que meus pulmões estão prestes a explodir, mas continuo correndo. A areia dourada abre caminho sob meus pés e se estende até onde meus olhos conseguem ver, e ainda assim eu me arrasto, escorrego e corro. O terror está em meus calcanhares. Ele se aproxima. Eu poderia me virar e encará-lo, ver o que era. Corro.
Como toda Reiniciada, Kyla carrega consigo seu Nivo. O Nivo é um aparelho que analisa batimentos cardíacos, emoções e mantêm quem o carrega sob controle, impossibilitando seu portador de machucar ou matar algúem. De 1 a 10, onde quanto maior melhor, Kyla sempre paira do 5 para baixo. Seus pesadelos sempre fazem seus níveis caírem, mas ela tenta sempre manter o controle acariciando Sebastian - seu gato - ou correndo.
10 é a completa felicidade; 1 é uma raiva que pode matar ou deixar você tão atordoado a ponto de não ser capaz de se mover. Se fica abaixo de 3, você está indo para a Terra do Nunca: o Nivo queima o chip em seu cérebro e você desmaia, como me aconteceu na outra noite. No caso de haver algum impulso violento à espreita, que o processo de transformação em Reiniciado tenha deixado passar, se de alguma forma seu nível ficar abaixo de 2 e você não desmaiar, será pior do que queimar. É como ser assado. Convulsões se repetem, e, se sobreviver, será um completo idiota.
Mas a vida de Kyla não se mostra ser tão simples quanto ela esperava ser. Uma parte das pessoas ao seu redor odeia os Reiniciados e a outra parte espera algo deles; eles devem se mostrar gratos, devem estar sempre com um largo sorriso no rosto. Além de tudo, ela é constantemente vigiada; pela doutora Lysander, por sua mãe, pelos assistentes na escola... Kyla já não sabe mais o que fazer e, para manter-se no nível, ela usa seu tempo livre para desenhar ou correr com Ben, um outro garoto reiniciado que se mostra ser um grande amigo - e talvez até mais que isso. 

Aos poucos, as coisas ao redor vão se tornando sombrias. Enquanto Kyla tenta ser quem as pessoas querem que ela seja, pessoas desaparecem ao seu redor e segredos surgem, fazendo-a questionar quem realmente é e porquê é diferente dos outros Reiniciados. Porquê ela é atormentada por pesadelos? Porquê sua mãe a escolheu, sendo que teve um filho morto num ataque terrorista? E, principalmente, porquê seu Nivo não funciona direito; porquê ela é a única Reiniciada capaz de matar? 
Eu ia bater naquela garota do ônibus; sei que ia. Não era algo consciente, nem planejado, era uma tensão muscular, minhas mãos se fechando para bater. Meu corpo reagindo. Eu não deveria ser capaz de fazer isso. Meu Nivo deveria ter me impedido. Qualquer traço de violência deveria me apagar.
Reiniciados é o primeiro volume da série Slated, de Teri Terry. Na grande onda de modinhas distópicas recente, é um livro que se destaca pelo enredo bem trabalhado e pela escrita impecável da autora. Teri Terry se aprofundou mais do que o normal no quesito distopia; em vez de as pessoas serem controladas indiretamente, em Reiniciados o totalitarismo é direto: qualquer coisa que você fizer, que não agrade ao governo, pode acabar com você, sendo reiniciado ou não. 

Kyla (só imagino ela como a Lucy Hale), apesar de todos os poréns, é uma personagem muito cativante e bem estruturada. Ela tem um espírito forte e rebelde que dá à trama um certo charme. Os outros personagens são incrivelmente bem divididos e trabalhados, com personalidades marcantes. 

O livro, apesar de ter um grande foco na trama governamental e de ser incrivelmente bem escrito, é um pouco sem grandes ações. Esperei muito por algo grandioso, mas poucas coisas chegaram perto do que eu imaginava. É um livro muito bom (e com uma capa perfeitamente linda!), sem via de dúvidas, mas eu esperava mais e o final deixou um pouco a desejar. De qualquer forma, espero poder ler Fragmentada o quanto antes e ver no que a história vai dar.



4 comentários

Write comentários
Unknown
AUTHOR
22 de maio de 2014 00:48 delete

Já havia visto esse livro por ai, mas nunca havia entendido direito sobre ele. talves aé por não prestar tanta atenção. mas sua resenha me esclareceu bastante e me deixou com vontade de ler, apesar da resenha ponderar com alguns pontinhos negativos no final.

Reply
avatar
27 de maio de 2014 10:18 delete

Eu já tinha ouvido falar desse livro e não sei se conseguiria ler...acho que tenho um bloqueio para livros estilo distopia kkkkk, mas estou tentando mudar isso.
Mas fiquei curiosa sobre o enredo, ainda mais por saber que foi bem escrito, e também fiquei um pouco decepcionada sobre o final deixar a desejar, mas talvez isso tenha acontecido por ter uma continuação.
Valeu pela dica

Abraços
Vivi

Reply
avatar
Unknown
AUTHOR
27 de maio de 2014 21:10 delete

É um dos livros que mais tenho vontade de ler, por se aprofundar mais mesmo como você disse, todo o mistério envolvendo Kyla, o totalitarismo em que todos vivem, a vigilância e o controle constantes, os pesadelos, enfim tudo que permeia essa trama, acredito que não teria grandes problemas com a falta de ação, acho que o livro deve carregar mais nas partes psicológicas, quem sabe isso muda nos próximos dois volumes? A autora deve ter feito um segundo e terceiro livros melhores que o primeiro que geralmente é a introdução, só lendo para saber, mas vou com grandes expectativas.

Reply
avatar
30 de maio de 2014 06:12 delete

A capa realmente é muito bonita, já faz um tempo que quero ler esse livro, quando vi a sinopse me agradou muito e fui vendo algumas resenhas nos blogs e aumentou minha curiosidade, espero poder ler em breve essa trilogia.

Reply
avatar

Obrigado por comentar!