Resenha: Sangue Quente

17:43 6 Comments A+ a-








Livro: Sangue Quente

Autor: Isaac Marion
ISBN: 978-85-8044-033-1
Editora: LeYa

R é um jovem vivendo uma crise existencial - ele é um zumbi. Perambula por uma América destruída pela guerra, colapso social e a fome voraz de seus companheiros mortos-vivos, mas ele busca mais do que sangue e cérebros. Ele consegue pronunciar apenas algumas sílabas, mas ele é profundo, cheio de pensamentos e saudade. Não tem recordações, nem identidade, nem pulso, mas ele tem sonhos. Após vivenciar as memórias de um adolescente enquanto devorava seu cérebro, R faz uma escolha inesperada, que começa com uma relação tensa, desajeitada e estranhamente doce com a namorada de sua vítima. Julie é uma explosão de cores na paisagem triste e cinzenta que envolve a "vida" de R e sua decisão de protegê-la irá transformar não só ele, mas também seus companheiros mortos-vivos, e talvez o mundo inteiro. Assustador, engraçado e surpreendentemente comovente, Sangue Quente fala sobre estar vivo, estando morto, e a tênue linha que os separa.


Diferente do comum - e altamente criticado por isso -, Sangue Quente narra a história de R, um zumbi em seus primeiros estágios de decomposição. Todo mundo critica muito o livro por não falar sobre os originais zumbis sanguinolentos e assassinos que sempre vemos nos filmes, séries etc. Mas, diferente do que pensam, o livro não é ruim em nada. É simplesmente ótimo!

Quando R e uma 'equipe' de zumbis saem para caçar, se deparam com um grupo de jovens sobreviventes que haviam saído do Estádio - o local onde os humanos se abrigam - para recolher itens necessários. Os zumbis atacam sem piedade. 

R ataca o líder, o jovem que está quase adulto, e come seu cérebro para que ele não retorne como zumbi. O fato é que, quando um zumbi como um cérebro humano, ele tem flashs da vida da vítima. E aquele foi o mais poderoso que R já presenciou. 

Ele observa outro zumbi atacar uma menina - Julie -, mas a reconhece dos flashs do rapaz e a salva, sujando-a com seu sangue coagulado para que ela se disfarce entre os mortos. R não sabe o que deu nele, ele nunca se importou com nenhum Vivo antes, mas algo em Julie o faz se sentir vivo novamente. 

Extremamente intrigante, Sangue Quente nos dá uma nova perspectiva do mundo dos mortos-vivos nunca antes explorada. É realmente uma leitura que vale apenas para aqueles que desejem quebrar os estereótipos.

"Nunca pensei que pudesse gostar tão apaixonadamente de um zumbi. Fiquei pensando na história muito tempo depois de acabar de ler o livro." 
- Stephenie Meyer, autora da série Crepúsculo.

   




6 comentários

Write comentários
Melissa Leal.
AUTHOR
2 de dezembro de 2012 18:13 delete

Muito bom!Estou louca pra ler! :)

Reply
avatar
Unknown
AUTHOR
20 de janeiro de 2013 19:52 delete

Estou louca pra ler esse livro, de preferencia antes de ver o filme rs.

bjoo

Reply
avatar
Unknown
AUTHOR
27 de março de 2013 05:23 delete

Não vejo a hora de ler para poder ver o filme. Tem uma amiga que diz que zumbis é coisa de modinha que nem os vampiros do crepúsculo, eu não me ligava nessa onda de zumbis, mas depois que vi TWD e gostei muito resolvi procurar algo diferente e esse livro eu sei que vou gostar por ser diferente.

Abração

Reply
avatar
Victor Rosa
AUTHOR
24 de agosto de 2013 12:25 delete

Cara bem diferente, uma estória de zumbi com amor? Por acaso este livro inspirou aquele filme que lançou recentemente que esqueci o nome??
Adorei a resenha :)
Super Abraço, Victor Rosa
encantosparalelos.blogspot.com.br

Reply
avatar
Unknown
AUTHOR
19 de outubro de 2013 11:28 delete

Já li esse livro e não gostei muito do que Isaac fez com os zumbis. Eu sou muito fã de zumbi e o que ele fez foi muito ousado, vamos assim dizer KKK Enfim, pra quem gosta de romance é um bom livro, mas eu não gostei muito. Boa resenha.

Reply
avatar
Unknown
AUTHOR
19 de outubro de 2013 12:01 delete

Nunca li esse livro, quer dizer nunca li livros que tratam sobre zumbis etc. Mas esse livro parece ser bem interessante!
Beijos, Thaynara
livroscombolinhos.blogspot.com

Reply
avatar

Obrigado por comentar!