[RESENHA] Vermelho Como o Sangue

09:58 2 Comments A+ a-


VERMELHO COMO O SANGUE
Autora: Salla Simukka
ISBN: 9788581635798
Editora: Novo Conceito
Trilogia Branca de Neve #1

- cedido em parceria com a editora -

SKOOB | Compre na SARAIVA
No congelante inverno do Ártico, Lumikki Andersson encontra uma incrível quantidade de notas manchadas de vermelho, ainda úmidas, penduradas para secar no laboratório de fotografia da escola. Cédulas respingadas de sangue. Aos 17 anos, Lumikki vive sozinha, longe de seus pais e do passado que deixou para trás. Em uma conceituada escola de arte, ela se concentra nos estudos, alheia aos flashes, à fofoca e às festinhas dominadas pelos garotos e garotas perfeitos. Depois que se envolve sem querer no caso das cédulas sujas de sangue, Lumikki é arrastada por um turbilhão de eventos. Eventos que se mostram cada vez mais ameaçadores quando as provas apontam para policiais corruptos e para um traficante perigoso, conhecido pela brutalidade com que conduz os seus negócios. Lumikki perde o controle sobre o mundo em que vive e descobre que esteve cega diante das forças que a puxavam para o fundo. Ela descobre também que o tempo está se esgotando. Quando o sangue mancha a neve, talvez seja tarde demais para salvar seus amigos. Ou a si mesma.

Lumikki Andersson é diferente. Com apenas 17 anos, ela saiu da casa dos pais e passou a morar sozinha e vive sua vida tranquilamente, estudando numa escola que tem foco na arte, mantendo-se invisível e distante de todos, presa a um nome que não tem nada a ver com ela.
Lumikki puxou seus cabelos castanhos para trás em um rabo de cavalo. Seus pais a haviam deixado presa a um nome que não tinha ligação com a realidade. Seu cabelo não era preto, sua pele não brilhava como a neve fresca e seus lábios não eram impressionantemente vermelhos. É sério, quem dá o nome à filha por causa da Branca de Neve? Não era tão ruim em finlandês; Lumikki era um nome de verdade, ainda que também fosse a personagem da história dos irmãos Grimm [...]
A vida calma e solitária de Lumikki vira de pernas para o ar quando ela se depara com várias cédulas de valor alto penduradas para secar no laboratório de fotografia da escola; cédulas que estavam manchadas de sangue, as quais ela logo descobre terem sido deixadas por outros três alunos, que misteriosamente encontraram as cédulas numa sacola na varanda da casa de um deles, após uma festa na qual eles beberam muito (e se drogaram).
- Ainda assim, tenho a sensação ruim de que alguém lá fora quer o dinheiro de volta. Agora mesmo. - Elisa sussurrou. Lumikki não tinha nada tranquilizador para dizer. Ela concordava por completo.
Mesmo não querendo, e tentando dizer para si mesma que não devia estar no meio disso, Lumikki acaba se envolvendo para tentar descobrir de onde o dinheiro surgiu e quem está por trás dele. Perdida em meio ao turbilhão de acontecimentos e descobertas, lutando por sua vida e, mesmo que não admita, pela vida dos seus 'amigos', Lumikki cai em uma trama governada por traficantes perigosos, repleta de traições e, principalmente, de sangue.
Agora, a poça vermelha embaixo de Natalia continuava a se espalhar, consumindo a neve à sua volta. O vermelho ainda estava voraz e quente, mas esfriava a cada segundo que se passava. Um conjunto de passos lentos e pesados aproximou-se de Natalia Smirnova enquanto ela estava deitada na neve. Mas ela não escutou. 
Vermelho Como o Sangue foi uma surpresa. Quando a Novo Conceito anunciou o lançamento, eu fiquei louco para ler, tanto pela capa incrível quanto por, achava eu, ser uma releitura da Branca de Neve. Eu esperava um YA com algo levemente sobrenatural (não me julguem, não leio sinopses de livros u-u), mas me enganei completamente.

De certa forma, considero o livro como um YA com toques de trama policial. Não é nada extremamente complexo, como livros ditos policiais, mas é um livro repleto de mistérios, assassinatos e assuntos como tráfico de drogas, corrupção, etc.
Era uma vez uma menina que aprendeu a ter medo. Contos de fadas não começam assim. Outras histórias, mais sombrias, sim.
Narrado em terceira pessoa, Vermelho Como o Sangue alterna os capítulos; às vezes mostrando outros lados da história, mas, na maioria das vezes, focando em Lumikki. A narrativa da Salla Simukka é gostosa de ler e, mesmo em poucas páginas (238), ela conseguiu colocar muitos acontecimentos. 

Em relação a Lumikki, eu fiquei ao mesmo tempo encantado e cauteloso. Ela é uma garota forte e determinada, com um passado misterioso e uma personalidade incrível, mas é tão esperta que chega a ser estranho. Ela sabe como se disfarçar perfeitamente, reconhecer pessoas pelo perfume que usa, e várias coisas desse tipo que ninguém com 17 anos sabe fazer. Começo a suspeitar que essa história tem sim algo de sobrenatural. 

Além dessa "invencibilidade" de Lumikki, o que me fez falta no livro foram mais elementos referentes à Branca de Neve. O que eu imaginava ser uma releitura, apenas cita o conto original e usa alguns poucos elementos do conto na trama. Gostei dos títulos da série (Vermelho Como O Sangue, Branco Como a Neve e Preto Como o Ébano), mas realmente queria algo mais dos contos de fadas. 
Era uma vez, no ápice do inverno, enquanto flocos de neve caiam como penas do céu, uma rainha que costurava junto á janela, cujo caixilho fora feito com a escura madeira do ébano. Enquanto ela costurava, contemplando a neve, a agulha picou seu dedo, fazendo despontar três gotas de sangue, que caíram contra a neve. Ao ver a beleza do vermelho sobre o branco, ela pensou consigo mesma: "Quisera eu ter uma criança branca como a neve, vermelha como o sangue e negra como a madeira do caixilho desta janela."
Ainda assim, adorei o livro e o avaliei com 4 estrelas. É uma história viciante, de leitura rápida e que prende o leitor do início ao fim. Aguardo ansiosamente por Branco Como a Neve.



2 comentários

Write comentários
Unknown
AUTHOR
4 de dezembro de 2014 12:14 delete

Gostei muito do estilo desse livro e espero ler em breve Henrique!
Adorei a sinceridade na resenha, isso é muito importante =)
Beijinhos
Rizia - Livroterapias

Reply
avatar
Ana Paula
AUTHOR
5 de dezembro de 2014 04:25 delete

Oi Henrique!

Cara, tbm pensei que era uma releitura de Branca de Neve... mas isso não tirou minha vontade de lê-lo!
Adorei a resenha e claro que vou ler neh? rsrsrsrrs

Bjo bjo^^

Reply
avatar

Obrigado por comentar!